O que gêmeos idênticos separados ao nascer nos ensinam sobre genética

Foto: vídeo BBC

A professora Nancy Segal leciona psicologia na Universidade Estadual da Califórnia e é parceira do Painel USP de Gêmeos. Em entrevista para a BBC, Segal diz que inicialmente se interessou pelo estudo de gêmeos por ser ela mesma gêmea fraterna, e desde pequena mostrou interesse pelas similaridades e principalmente diferenças entre ela e sua irmã. Ela se debruçou nos estudos de genética e passou muitos anos dedicada a estudar gêmeos que foram criados separadamente.

Segal aponta que estudar gêmeos esclarece muito sobre como chegamos a ser o que somos. Os estudos de gêmeos são modelos naturais quando se quer olhar para as influências genéticas e ambientais no comportamento humano. É a partir desses estudos que Nancy Segal pode afirmar que os componentes genéticos estão envolvidos em mais comportamentos do que imaginávamos. Ela cita também a influência genética em traços físicos, como altura e peso, chegando até a influências sobre a inteligência, religiosidade, atitudes sociais e políticas, etc. Segal alerta que os genes não funcionam de forma determinística, e sim de forma probabilística. Ou seja, os genes dão uma predisposição, e não uma certeza. Além disso, mesmo que uma pessoa possua um determinado gene, não significa necessariamente que ele será expresso, pois ele pode precisar de fatores ambientais específicos para isso. Assim, quando falamos de gêmeos com o mesmo DNA (gêmeos idênticos), alguns genes podem se expressar em um deles, e em outro não, e isso cria diferenças entre eles. O interesse de Segal em estudar gêmeos que cresceram separadamente se relaciona com isso, pois eles dividem os genes, mas não compartilharam dos mesmos fatores ambientais, então qualquer semelhança entre seus comportamentos está ligado aos seus genes iguais. Em suas pesquisas, Nancy conta que foram encontradas muitas similaridades em gêmeos separados ao nascimento, em características como altura, peso, inteligência, personalidade, e até mesmo hábitos dos mais particulares, como o caso de irmãos que tinham o mesmo hábito de deixar bilhetes de amor para suas esposas pela casa.



Quer saber mais sobre o quanto gêmeos idênticos podem nos ensinar sobre genética? Confira o vídeo produzido pela BBC com a Dra Nancy Segal clicando aqui.

0 comentário